Comentar

imagem de Ghuyer

Enviado por Ghuyer em sex, 07/22/2011 - 02:58

Gostei da maioria das observações do Pedro a respeito das origens do Homem-Aranha, uma vez que o máximo que sei sobre o herói se resume às duas séries animadas (principalmente aquela dos anos 90), e aos filmes de Sam Raimi.

No entanto, tenho que concordar com o contraponto do Giordano a respeito das peculiaridades que envolvem o processo "criativo-adaptativo" de passar uma história dos quadrinhos para o cinema. (obs: no terceiro parágrafo, quando diz "No entanto, para o público amplo dos quadrinhos", não queria dizer "o público amplo do cinema"?), ou qualquer situação que envolva adaptação de uma mídia para a outra.

No mais, os filmes do Homem-Aranha, principalmente o primeiro, creio que tiveram uma participação importante na popularização das adaptações de quadrinhos, que basicamente já viraram um gênero no cinema atual. Não só popularização. Quero dizer mais no sentido que mostraram ser possível o negócio dar certo. Para o bem (Batmans do Nolan) ou para o mal (Quartetos Fantásticos), o Homem-Aranha cinematográfico vai ficar para a História.

Agora, apesar da bem apontada questão iconográfica, acho que a trilogia de Raimi tem um sério problema de infra-estrutura, por assim dizer. Pensando em retrocesso, parece que não houve planejamento para as continuações, parece que não se deram ao trabalho de criar um arco narrativo maior. Encontro isso também, porém em menor parte, nas adaptações de X-Men. (Na verdade, a única exceção que vejo são os projetos de Christopher Nolan). Talvez devido à ganância dos produtores, de querer mandar um filme atrás do outro sem pensar muito, talvez por ignorância mesmo, eu não sei. Mas é algo que noto bastante especialmente nessas duas "trilogias". Tipo, na minha cabeça sempre pareceu idiota a ideia de serem trilogias - e penso isso desde antes de entender o organismo financeiro do cinema. Sei que existem dezenas de histórias possíveis de serem montadas com as incontáveis versões dos heróis existentes nos quadrinhos, e sei que Hollywood adora franquias, então não me desce essa ideia de fazerem "trilogias", para depois começarem esses reboots dispensáveis (exceto no caso de Hulk, em que uma refilmagem era realmente necessária). Espero que os filmes de Harry Potter sirvam de lição para qualquer pretensão de adaptar séries grandes (ou com grandes potenciais). Mostrar que é possível (e recomendável) uma boa base de planejamento, para então ir lançando os filmes (e não só três, por favor).

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.
CAPTCHA
Esse desafio é para nos certificar que você é um visitante humano e serve para evitar que envios sejam realizados por scripts automatizados de SPAM.
CAPTCHA de imagem
Digite o texto exibido na imagem.