Texto do leitor: Primeiro lugar

imagem de Anônimo
Enviado por Anônimo (não verificado) em dom, 07/10/2011 - 22:53

A magia pode estar chegando ao fim, mas as memórias são para a vida inteira. 
por Matheus Pannebecker

Não sei se os fãs de Harry Potter já se deram conta, mas, muito em breve, estamos prestes a dar adeus para uma saga memorável. Os detratores não conseguem entender que para nós, fãs, Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2 será um momento singular. Se a despedida apresentada nos livros de J.K. Rowling não foi o suficiente para deixar aquela triste sensação de despedida, todos podem começar a preparar os lenços e a alma para um encerramento nostálgico. Com o desfecho do livro, tinhamos o consolo que muitos filmes ainda viriam. Agora, com o final da saga cinematográfica, estamos prestes a nos deparar com o adeus definitivo. Não existe mais nada depois.

Resolvi escrever esse texto porque nunca expressei a verdadeira importância que a saga Harry Potter teve na minha vida. Ok, hoje tenho 19 anos de idade e não sou mais aquele garotinho enlouquecido pela história e que sabia todos os detalhes de cada livro e filme. No entanto, nem por isso deixo de preservar o mesmo encantamento e entusiasmo toda vez que, por exemplo, assisto a um filme do menino-bruxo. Essencial na minha vida de leitor (lembro que foi o primeiro livro que não era ilustrado que li!), Harry Potter fez parte da minha infância, mexeu com o meu imaginário e me conquistou como nenhuma outra fantasia conseguiu. Nem O Senhor dos Anéis, As Crônicas de Nárnia e muito menos a saga Crepúsculo… A história fantástica que sempre fez a minha cabeça foi Harry Potter!

Por isso, devo agradecer sim ao tão criticado Chris Columbus por ter feito filmes tão de acordo com os livros (aquele tom infantil era extremamente necessário, visto o público que compareceria ao cinema para assisti-los) e aos diretores seguintes por terem amadurecido a ideia e linguagem cinematográfica que, hoje, cresceu junto com o seu público. E, claro, os agradecimentos não poderiam faltar a J.K. Rowling que, assim como os diretores dos filmes da saga, tropeçou algumas vezes, mas nunca perdeu a verdadeira essência do enredo. Os personagens eficientes continuavam ali, o mundo mágico também e tudo aquilo que sempre fez dessa história um verdadeiro sucesso…

Não vale a pena ficar comentando filme por filme (até porque todos fazem isso ano após ano), só quero deixar registrada a minha emoção prévia de saber que Harry Potter está chegando ao fim. Muito mais do que sentir falta das impecáveis personificações de atores como Richard Harris, Maggie Smith, Alan Rickman e Imelda Staunton, será triste não ter, nos próximos anos, um filme do jovem bruxo para assistir. Era um ritual que eu nunca abria mão. Portanto, é com extrema emoção que, em julho, estarei na sala de cinema assistindo ao último capítulo da saga. Inevitável não lembrar daquele Matheus deslumbrado que precisou de um assento mais alto para poder enxergar a tela em A Pedra Filosofal… Harry Potter vai fazer falta. E essa saudade, meus amigos, nem o bruxo mais poderoso de Hogwarts poderá apagar…

Comentar

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.
CAPTCHA
Esse desafio é para nos certificar que você é um visitante humano e serve para evitar que envios sejam realizados por scripts automatizados de SPAM.
CAPTCHA de imagem
Digite o texto exibido na imagem.