Jenny from the Block e o Vizinho Obsessivo

imagem de Felipe
Enviado por Felipe em qui, 03/26/2015 - 16:22

Vamos direto ao ponto: é ruim. É muito ruim.

Eu parto do princípio de que quando alguém faz um filme como “O Garoto da Casa ao Lado” (The Boy Next Door), é necessário que a pessoa venha com algo novo ou ao menos alguma ideia interessante. Seja o elenco, o roteiro, a direção. Claro que ao entrar numa sala de cinema para ver o novo filme do picaretão Rob Cohen (Velozes & Furiosos, Triplo X) eu já sabia que não ia encontrar nenhum dos itens citados anteriormente.

               

Claire (Jennifer Lopez) está recém se separando do maridão (o cara do Casamento Grego*) e acaba conhecendo o vizinho fortão (um abostado qualquer aí...) que, aparentemente, é o cara perfeito. Entre closes nos músculos suados e cheios de graxa pra lá e citações bagaceiras de obras da literatura clássica pra cá, Claire e o vizinho bonitão acabam indo para o rala e rola. Não é preciso dizer (mas já o estou fazendo) que ela se arrepende da bimbada e o cara começa a persegui-la de todas as formas tentando convencê-la de que tiveram um momento especial. A partir daí descobrimos que o vizinhão é muito maquiavélico, fodão com armas e manja das tecnologias.

             

Tive aquela sensação constante de “eu já vi esse filme antes”**. O que é era verdade. Mas o pior é que eu já tinha meio que visto esse filme antes com a própria Jennifer Lopez (que aqui tem sua bunda – direto, sem eufemismos – enquadrada e apertada diversas vezes ao longo do filme). Lançado em 2002, “Nunca Mais” (Enough) era basicamente a mesma coisa: mulher por muito tempo abusada pelo marido resolve dar o troco no babaca e caga ele a pau. O “diferencial” aqui é que Claire é uma trouxa de marca maior. Nada, nada na personagem a faz se destacar ou reagir frente ao seu vizinho abusivo ou seu marido mongolão que quer uma nova chance. Seu conflito se resume a ficar entre um homem e outro, sem falar no filho chato que insiste em ser idiota com ela volta e meia. A protagonista nunca reage e nunca nem ao menos nos dá um motivo para torcer por ela. Na real, eu torci o filme inteiro para que todos os personagens morressem no final. Seria massa.

Sem surpresas e sem nada que valha a pena, “O Garoto da Casa ao Lado” é uma bela porcaria.

 

*John Corbett.

**Ah, o filme também tem a manjada cena do “cagaço do gato”.

Poltronas 

1

Comentar

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.
CAPTCHA
Esse desafio é para nos certificar que você é um visitante humano e serve para evitar que envios sejam realizados por scripts automatizados de SPAM.
CAPTCHA de imagem
Digite o texto exibido na imagem.