5 filmes baseados em HQs da DC que nunca aconteceram

imagem de Rafael
Enviado por Rafael em ter, 10/01/2013 - 01:03

Uma versão cômica do Lanterna Verde protagonizada por Jack Black, Comando para Matar 2 e Garotos Perdidos Origens. Um trio de projetos que por não terem sido realizados acabaram se tornando lendas urbanas. Eles se juntam a diversos outros filmes (E.T 2, De Volta para o Futuro 4, Gladiador 2,  entre outros) que estiveram bem próximos de acontecer, e entre eles há uma pilha gigantesca de tentativas de adaptar histórias em quadrinhos. 

Desde que a Warner fez um grande sucesso com as adaptações de Superman e Batman, outros estúdios tentaram trilhar o mesmo caminho (o que explica os direitos de diversos heróis da Marvel divididos entre vários estúdios).Destas inúmeras tentativas de adaptações surgiram diversos projetos alternando entre os bizarros e os que apresentavam grande potencial: Lanterna Verde com Black e a Mulher Maravilha do Joss Whedon são excelentes exemplos, respectivamente. Desta esta pilha, há 5 adaptações de HQs da DC que a Warner quase produziu e que  eu queria que tivessem acontecido, em grande parte pelos projetos serem toscos o suficiente para serem engraçados.

 

                          

 

            5 - Green Arrow: Escape from Supermax

Na historia, após ser incriminado por um crime que não cometeu e ter sua identidade secreta revelada, Arqueiro Verde (Oliver Queen) é preso em uma prisão de segurança máxima projeta para portar criminosos superpoderosos, o que inclui muitos dos inimigos do personagem. Assim, Oliver tem que se unir com alguns destes criminosos para fugir e poder limpar seu nome, tendo que lidar com alguns presos que buscam vingança no processo.

Em abril de 2007, Justin Mark foi apadrinhado por David S. Goyer (tá explicado porque o projeto desandou) depois de mostrar o roteiro do longa. O planejamento inicial da Warner era adaptar o script ainda que não tivesse grande fé no projeto, visto que não é o típico filme de super-herói (o personagem só usa máscara nos 10 minutos iniciais).

Porém, depois da má recepção a Street Fighter: A Lenda de Chun-Li, roteirizado por Mark, e do fracasso de Jonah Hex, que foi lançado como medidor do estúdio para ver a reação do público a um personagem menor, o projeto foi adiado, entrando em esquecimento total após o fiasco que foi Lanterna Verde.

Ainda sobre o filme, a trama iria ter como antagonistas vilões menores, mas incluiria  pontas de grandes personagens do universo DC, como Lex Luthor, Charada e Coringa. Inclusive quando o projeto recém engatinhava, havia o rumor de que Heath Ledger reinterpretaria o personagem fazendo uma ligação com Batman: O Cavaleiro das Trevas, algo que nunca foi confirmado e esquecido completamente após a morte do ator. Outro boato falava da possibilidade de Batman e Superman aparecerem, o que faria sentido visto que a Warner há anos estuda em fazer um filme da Liga.

Por mais que a historia seja clichê (Minority Report? Tango e Cash? O Fugitivo?), não posso deixar de pensar que, na mão de um diretor talentoso, a história poderia render um ótimo longa. Aproveitar da falta de popularidade do personagem e fazer um filme violento visando um público adulto permitiria que o diretor e o próprio roteirista tivessem uma liberdade para fugir do típico clichê de filme de super-herói (ainda que caia em outro).

 

4 - Superman vs. Batman

Após cancelar as tentativas de um novo filme do Superman e ver a franquia do Homem Morcego condenada ao fracasso após Batman e Robin, a Warner Bros. tinha parado de tentar adaptar as histórias em quadrinhos. Porém, com o sucesso de X-Men, o estúdio viu que estava na hora de retomar o espaço no mercado. 

Com Wolfgang Petersen na direção, a história colocaria um Batman aposentado que vive feliz com sua esposa depois da morte de Robin e de Alfred. Após ela ser assassinada pelo Coringa, que todos acreditavam estar morto, o herói resolve voltar à ativa, matando criminosos. Logo, Superman tenta dissuadir o Batman de seguir com seu plano de vingança, mas é ignorado e até ameaçado pelo Homem Morcego.

Depois desta discussão, Superman descobre através do encarcerado Lex Luthor um programa do governo em coletar fragmentos de kryptonita para caso o herói um dia se voltasse para o lado do mal. Batman, que também tem este conhecimento, descobre e rouba a kryptonita preparando-se para uma luta. Obviamente, durante o confronto ambos descobrem que estão sendo manipulados e que tudo não passa de um plano de Lex e do Coringa, e ambos se unem contra os vilões. Ou seja: a história mais clichê possível.

O projeto sofre vários atrasos devidos às tentativas de resgatar as franquia do Homem de Aço em meados de 2003 (que ia ser dirigido por McG). Quando a produção ia começar, Wolfgang Petersen resolveu dirigir Tróia e Nolan começar a trabalhar em Batman Begins. Assim, o filme acabou sendo cancelado pela vontade do estúdio, que viu que lucraria mais com as duas franquias separadas.

Tratando de elenco, vários nomes transitaram pelo projeto. Para Superman, Jude Law era o grande preferido do estúdio, com Josh Hartnett e Paul Rudd correndo por fora. Já para Batman, Colin Farrell disputava o papel com James Franco e Johnny Depp.  Christian Bale chegou a ser cogitado para ambos papeis, tendendo obviamente para o lado do homem morcego, mas recusou para poder protagonizar a finada adaptação de Batman: Ano Um que Darren Aronofsky  ia dirigir e que acabou sendo substituída pelo filme do Nolan, também protagonizado por Bale. Lembrando também que Bale quase foi o Robin em Batman Eternamente.

Nota: Este texto foi escrito há um tempão, muito antes da Warner resgatar a idea, porém antes vale um Batman vs. Superman com o Paul Rudd de que um com o Zack Snyder na direção.

 

3 -  Watchmem do Paul Greengrass

Muito antes do meu amigo Zack “Slow Motion” Snyder (Desculpa, mas eu nunca vou cansar desta piada) adaptar a HQ, o projeto passou por diversas mãos, como as de Terry Gilliam, Darren Aronofsky e até Michael Bay (???). Finalmente, no início dos anos 2000 ele chegou às mãos de Paul Greengrass (O Ultimato  Bourne, Zona Verde) que chegou bastante próximo de levar a graphic novel para as telonas.

Assim como Aronofsky, Greengrass queria atualizar a trama, fazendo a história ocorrer pós-11 de setembro. Porém, o filme sofreu diversos problemas na pré-produção, indo desde a escolha de locações até o corte de orçamentos, o que resultou no cancelamento do projeto.

Um dos problemas que o longa sofreu foi a escolha de atores. Paramount não queria (e nem na versão do Snyder quis) nomes famosos que ajudassem a inflar o orçamento, sendo que vários atores famosos mostraram interesse, como Jude Law (Ozymandias), Keanu Reeves (Dr. Manhattan), Simon Pegg (Rorschach). Joan Allen (Espectral Original). Não muito depois da saída de Greengrass, Snyder foi contratado e fez o filme que conhecemos hoje.

                   

 2- Batman Triumphant

Dos vários projetos envolvendo o Homem Morcego, este é mais famoso. Quando Batman e Robin ainda estava em produção, a Warner já planejava uma sequência junto com Joel Schumacher e o roteirista Mark Protosevich que deveria resgatar um pouco do universo dark do personagem, algo mais próximo dos filmes de Tim Burton.  O longa mostraria Bruce se aposentando do cargo de vigilante para começar um relacionamento com Julie Madison, deixando com Robin (Dick Grayson) e Batgirl (Barbara Wilson) a missão de proteger Gotham. Porém, Arlequina, que aqui seria a filha do Coringa e não a amante, em busca de vingança, aleijaria Barbara, fazendo Dicky abandonar o manto de Robine e virar o Asa Noturna. Bruce acabaria retornando ao manto para confrontar Arlequina e o seu comparsa, o Espantalho.

Este é basicamente o resumo do que se sabe sobre como seria o filme, e há ainda alguns boatos sobre este projeto que nunca foram confirmados ou negados:

  • Batman ganharia um novo Robin (Tim Drake), que possivelmente seria interpretado por Leonardo DiCaprio;
  • Chapeleiro Louco e Homem-Morcego também estariam no filme e seriam interpretados por Martin Short e Mark Linn-Baker.

O casting do filme seria o mesmo do anterior. George Clooney (Batman), Chris O'Donnell (Robin), Alicia Silverstone (Batgirl), Michael Gough (Alfred) e Pat Hingle (Comissário Gordon) voltariam, assim como Elle Macpherson (Julie Madison), que teve sua personagem morta no roteiro original de Batman e Robin, mas que acabou sendo mantida no segundo tratamento do texto justamente em função dessa possível sequência.

Quanto para os papeis de antagonistas, havia bastante divergência. Enquanto Madonna era a preferida do estúdio para viver Arlequina, Schumacher queria Jenny McCarthy. Já para o papel de Espantalho, quatro atores estavam na disputa: Steve Buscemi, Ewan McGregor, Nicolas Cage e Jeff Goldblum, sendo os dois últimos os líderes na disputa pelo papel. Digno de nota é o fato de Jack Nicholson retornar em uma ponta como Coringa em uma sequencia que Batman é atingido pelo gás do Espantalho.

Considerando o que foi a estreia de Batman e Robin, não fica difícil imaginar o porquê de o projeto ter sido cancelado. Schumacher ainda tentou emplacar uma adaptação de Batman: Ano Um que foi igualmente desconsiderada pelo estúdio.

A pergunta que fica é: será que Schumacher conseguiria fazer um filme pior do que Batman e Robin? Tudo bem que tivemos Elektra e Mulher Gato, mas nada me tira a vontade de ler o roteiro só para esclarecer este questionamento.

 

                                    

1 - Superman Lives

Após o fracasso de público de Superman III e Supergirl, o produtor e também dono (temporariamente) dos direitos do personagem, Ilya Salkind, licenciou o mesmo por apenas um filme para a empresa Canon Group (grupo de companhias dona da produtora Cannon Films).  Depois da realização do filme, Salkind retomou os direitos sobre o personagem e, junto com Christopher Reeve, planejava um roteiro para Superman V com base nos arcos A Morte e o Retorno de Superman.  Porém, com o fracasso de crítica e de bilheteria de Superman IV, a Warner Bros resolveu demitir Ilya Salkind e colocar John Peter no seu lugar.

Depois de mais uma tentativa de reescrever o roteiro, John Peters contratou Kevin Smith para começar do zero, mantendo o mesmo plot que o roteiro anterior.

Smith também foi demitido logo após a contratação de Tim Burton para dirigir o filme – Burton tinha suas próprias ideias para o filme (supermóvel e traje elétrico são algumas delas). Nesta época, Nicolas Cage já tinha assinado contrato, enquanto Sandra Bullock e Kevin Spacey estavam em negociações para interpretarem Lois Lane e Lex Luthor, respectivamente (mas imaginem o contrário, apenas por uns segundos). O projeto acabou cancelado devido à rejeição de boa parte dos fãs de quadrinhos à ideia, mas principalmente em função do vexame que foi Batman e Robin.

Há uma versão da história que conta que Cage Burton e Smith tinham diferentes ideias para o projeto, o que levaria Smith a pedir demissão e o descontentamento do estúdio quanto ao projeto.

Eu entendo Nic Cage e suas escolhas bizarras de papéis, porque no lugar dele eu faria a mesma coisa. Depois de ganhar o Oscar, eu toparia todos os projetos que aparecessem, afinal eu já haveria chegado ao topo. Dali para frente eu iria querer apenas me divertir e ganhar dinheiro. Como o nerd que sou (e Nic é), se me oferecerem o papel do maior super-herói dos quadrinhos, é obvio que eu vou topar. Ainda mais se vou poder trabalhar com Tim Burton, aquele cara esquisito que vez um remake bosta de Planeta dos Macacos.

Agora calcula: Nic Cage + Tim Burton + Kevin Smith + Superman = A melhor comédia involuntária de todos os tempos ou o melhor filme de super-herói de todos os tempos. Por incrível que pareça a ideia do filme é tão ruim e bizarra que poderia sair algo bom, afinal, relevando a aranha gigante e as bizarrices do Tim Burton, é possível ver o primeiro filme do personagem que tenta fugir do esquema Lex Luthor vilão principal (ainda que ele seja parte crucial da trama) e que tenta levar a relação Lois – Clark para algum lugar.

Nota²: Este projeto de filme é tão icônico, que tem um cara nos Estados Unidos fazendo um documentário sobre.

Vários longas merecem menção honrosa, esses são alguns:

  • A Liga da Justiça do George Miller
  • Batman Mecânico de Darren Aronofsky
  • Batman Ano Um do Joel Schumacher
  • Batman do Futuro com Keanu Reeves

Aproveito para confessar que se eu fosse um dos produtores da Warner, já teria colocado Spielberg para dirigir um filme do Super e Scorsese um do Batman.

Em breve, quem sabe, temos a continuação deste post falando dos projetos envolvendo a Marvel.

Até a próxima!

 

Comentários

Comentar

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.
CAPTCHA
Esse desafio é para nos certificar que você é um visitante humano e serve para evitar que envios sejam realizados por scripts automatizados de SPAM.
CAPTCHA de imagem
Digite o texto exibido na imagem.