10 Piores Filmes de 2012

imagem de Rafael
Enviado por Rafael em sab, 01/12/2013 - 23:17

Sem enrolação, vamos direto aos filmes que classifico como piores do ano passado:

As Aventuras de Agamenon, o repórter (idem, Brasil): Me nego a justificar o porquê deste “””““ filme””””” entrar na lista. Já gastei palavras de mais com este longa na minha crítica (link aqui).

Totalmente Inocentes (idem, Brasil): Esta aí um filme que não se contenta em ser apenas ruim ao apostar em piadas ridículas que tentam parodiar os filmes favela. Totalmente Inocentes vai além. Com uma trama sem sentido algum (até agora tentando descobrir quem é o real protagonista do filme) cheia de personagens extremamente unidimensionais, o longa tenta se sustentar pelo torturante período de 1 hora e 30 minutos. Totalmente Inocentes é repetitivo e extremamente caricato nas suas gags e na paródia que tenta estabelecer, e como boa parte das comédias nacionais,  é repleto de coadjuvantes que só existem para criar piadas e pouco acrescentam na trama, só constrangendo os atores que os interpretam.

 

 

Projeto Dinossauro (idem, GB): Qual é o gênero de Projeto Dinossauro? Terror não pode, já que o roteiro sabota qualquer tentativa de criar uma tensão, além de se prender em uma trama boba que mais parece uma desculpa para se juntar o estilo mockumentary e dinossauros. Aventura tampouco, visto que os personagens e seus motivos bobos não conseguem cativar a ponto de tornar a jornada cativante. Drama?! Só se for do espectador de ter que aguentar por uma eternidade (de 1 hora e 20 minutos) draminhas previsíveis e extremamente forçados e efeitos datados há pelo menos uma década. Comédia também não, já que o filme ao contrario de um Piranhas 3DD ou Área Q, por exemplo, não é (tão) tosco a ponto de se dar umas risadas. Se alguém souber que gênero é este filme diga nos comentários junto com o nome do protagonista de Star Wars – A Ameaça Fantasma.

Este é o Meu Garoto(That's My Boy,EUA): Não contente em afundar a carreira de Al Pacino e de quebra fazer um dos piores filmes da história do cinema, Cada um tem a Gêmea que merece, Adam Sandler foi além. Em Este é o Meu Garoto, Sandler não só tenta fazer humor de pedofilia e incesto da pior maneira possível, como chama James Caan e Susan Sarandon para fazer parte do (quase) remake de O Paizão, reciclando as mesmas gags de vários dos seus diversos filmes e adicionando algumas ainda mais ridículas (Vanilla Ice está de prova).

Resident Evil 5 – Retribuição (Resident Evil: Retribution, 2012): Tem crítica minha no site (link aqui), mas em resumo Paul W. S. Anderson usa da sua esposa, Milla Jovovich, para nós distrair enquanto rouba o dinheiro das nossas carteiras para financiar o próximo filme da franquia.

Battleship: A Batalha dos Mares (Battleship, EUA): Eis um filme que comprova como edição e roteiro tem enorme influência na qualidade de um filme. Sem sombra de duvida é possível reduzir uns 40 minutos das 2 horas e meia de cenas que simplesmente não acrescentam nada ao filme, que servem apenas para espichar a historia. Repleto de subtramas desnecessárias e diálogos explicativos, o roteiro tenta combinar o jogo do tabuleiro com o maior numero de clichês (rapaz rebelde que se torna responsável, sogro durão, inimigos que precisam se unir contra um mal comum, etc.) entregando um produto forçado. Além de um exaltado patriotismo americano, o filme sofre com um Peter Berg imitando Michael Bay ao apostar na pirotecnia para tapar os buracos da sua trama.

Espelho, Espelho Meu (Mirror Mirror, EUA): Depois da bobagem épica que foi Imortais, a 2ª maior farsa vinda da Índia ( Shyamalan, líder absoluto) Tarsem Singh resolve adaptar o conto da Branca de Neve, realizando um longa constrangedor. Desprovido de qualquer senso de comedia, o roteiro parece tentar agradar adultos e crianças com suas piadas débeis e seu tom caricato, além de encher linguiça com uma trama boba e descartável para se diferenciar do conto. Com direito a dança no final e Sean Bean vivo, Espelho, Espelho meu consegue se esforçar mais e ser pior que a versão guerreira da Kristen Stewart.

O Corvo (The Raven, EUA/Hungria/Espanha):  O Corvo não é apenas um filme clichê, é um filme que usa os clichês da piores forma. Tentando fazer um suspense de serial killer com o plot mais comum possível (praticamente o mesmo roteiro de Beijos que Matam, Psicose e Do Inferno, por exemplo) com um toque mais teatral, o diretor James McTeigue acaba fazendo um longa previsível e incrivelmente entediante.  McTeigue privilegia o mistério, que como já dito é falho, esquecendo-se de desenvolver tudo que o cerca, inclusive o vilão. O plot foi construído, mas há historia e os personagens, não.

Abraham Lincoln - Caçador de Vampiros (Abraham Lincoln: Vampire Hunter, EUA): O que o plot do filme tem de bizarra, o filme tem de entediante. Com personagens apáticos e um roteiro mal estruturado, repleto de saltos na história e subtramas perdidas, Timur Bekmambetov realiza um longa com sem ritmo, com uma história boba que não consegue trabalhar bem ficção e realidade. A criatividade ficou apenas na ideia inicial.

Katy Perry: Part of Me (idem, EUA): Se ano passado  Glee 3D – O Musical figuro na minha lista de piores do ano,  este anos temos outro documentário musical. Mas ao contrário de Glee, que nada mais era do que um produto publicitário vendendo o seriado como um programa de autoajuda, Katy Perry é uma falha tentativa de humanizar a cantora. Toda construção da carreira da cantora e o drama que viveu durante sua turnê são trabalhados de uma forma falsa.  A história de superação da cantora, tanto profissionalmente quanto emocionalmente, soa artificial quando o objetivo proposto é justamente o contrário. A tentativa de desmistifica-la ao apela por uma excessiva dramatização, faz com que toda trajetória da cantora apresentada pareça ter sido encenada  com um único proposito de humanizar Perry, ao mesmo tempo em que  a glorifica por ter superados as dificuldades.

10 Menções desonrosas para outros, em ordem alfabética:

  • Amanhecer – Parte 2(The Twilight Saga: Breaking Dawn - Part , EUA)
  • Área Q (idem, Brasil/ EUA)
  • A Armadilha (ATM, EUA/Canada)
  • Até que a Sorte nos Separe (idem, Brasil)
  • Billi Pig (idem, Brasil)
  • Chernobyl (Chernobyl Diaries,EUA)
  • Filha do Mal (The Devin Inside, EUA)
  • Fúria de Titas 2 (Wrath of Titans,EUA/ Espanha)
  • Na Sombra do Inimigo (Alex Cross, EUA)
  • A Última Casa da Rua (House at the End of the Street, EUA/Canadá

E para você, quais foram os piores filmes do ano?

Próximo post eu publico os 10 melhores do ano. Exceto se eu for abduzido por aliens impedindo que eu escreva.

Comentários

imagem de Wellington João Franke Junior

Enviado por Wellington João... (não verificado) em seg, 01/14/2013 - 17:32

Qualquer critica relacionada aos filmes de Paul W. Anderson e os destaques oportunistas da pedante Milla Jovovich é bem aceita...

Comentar

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.
CAPTCHA
Esse desafio é para nos certificar que você é um visitante humano e serve para evitar que envios sejam realizados por scripts automatizados de SPAM.
CAPTCHA de imagem
Digite o texto exibido na imagem.